CUIABÁ

Auto

Honda mostra interior do novo CR-V, que chega ao Brasil em 2023

Publicado em

Auto

source


interior da nova geração do CR-V vai adotar o mesmo estilo do novo Civic em alguns detalhes
Divulgação

interior da nova geração do CR-V vai adotar o mesmo estilo do novo Civic em alguns detalhes

A linha 2023 do Honda CR-V será totalmente nova e aos poucos a marca japonesa, assim como é de praxe com todas as fabricantes, vem soltando algumas imagens até a revelação de mais detalhes, prevista para ocorrer no dia 12 de julho.

O mais recente teaser do novo Honda CR-V revela o interior do SUV com destaque para a nova tela multimídia flutuante, semelhante ao visto da 11ª geração do sedã Civic. Pela imagem, deixa claro ambos compartilham o mesmo o estilo.

Outra mudança no CR-V nítida está no console central.  A alavanca de câmbio ficou em uma posição mais elevada, dando a ideia de que ficou mais ergonômica. Além disso, há botões de freio de estacionamento, de tração entre outros comandos.

Leia Também:  Nissan Kicks Sense MT: um dos únicos SUVs com câmbio manual à venda

 O porta-copos que é um item bastante valorizado no mercado norte-americano deve estar logo à frente do apoio de braço central e ao que parece ser o porta-objeto logo mais adiante, trata-se do carregador por indução.

Fora essas mudanças, logicamente toda a forração e padronagem do couro também é nova, assim como o acabamento lateral de portas com novo layout. O painel de instrumentos parece que ficou maior em relação ao CR-V da geração anterior.

Por falar em mercados, o dos EUA, por exemplo, deve adotar uma grade diferente entre outros ajustes em comparação com o CR-V global, assim como acontece com outros modelos da marca nipônica.

No conjunto mecânico, o segredo ainda continua e a Honda não se pronuncia quais motorizações deverão ser adotadas na nova geração, mas é certo que a empresa vai ter uma versão híbridaa, além da tradicional a gasolina.

Rumores apontam para a adoção da mesma motorização adotada da linha Civic , mas com alguns ajustes para uma calibração diferente. Assim, é bem provável que na versão híbrida, por exemplo, o SUV adote a mesma da gama Civic e Accord.

Leia Também:  Papo-cabeça: por que não colocar rodas grandes no seu carro?

Neles, o motor é um 2.0 a gasolina com injeção direta e ciclo Atkinson, com eficiência térmica de 41%, e que em geral só gera energia para os outros dois motores elétricos, sendo que um atua como gerador na maior parte do tempo. O motor principal, porém, é um elétrico de 184 cv de potência e um torque de 32,1 kgfm.

O novo CR-V está previsto para ser lançado no mercado norte-americano no próximo mês ao que tudo indica apesar de a marca revelar que trará mais detalhes a partir do dia 12 de julho. No mercado brasileiro, a Honda  já anunciou que terá a nova geração do CR-V híbrido a partir do ano que vem.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Auto

VW Nivus Highline 2022: como anda o meio hatch meio SUV

Publicados

em

Por

source
VW Nivus Highline: Testamos na cidade, na estrada, na terra batida e na lama
Guilherme Menezes/ iG Carros

VW Nivus Highline: Testamos na cidade, na estrada, na terra batida e na lama

O VW Nivus é um verdadeiro crossover de SUV, cupê e hatch. Quando comparado ao Polo — de quem o VW Nivus foi derivado — o modelo Highline (R$ 136.270) dos nossos testes tem algumas vantagens. A maior parte delas, de fato, servem para agradar as pessoas que procuram atributos mais “descolados” em um carro.

Dois dos pontos que chamam atenção no VW Nivus Highline da linha 2022 é vão livre do solo (17,6 cm ante 14,9 cm) e o espaço interno, inclusive o porta-malas (415 litros ante 300 litros). Outro é o bom acabamento, com aplique preto brilhante no painel e tecido de boa qualidade nos bancos.

Ainda falando do interior, há espaço para cinco ocupantes e bagagens. Quem vai sentado no banco traseiro conta com saídas do ar-condicionado, o que contribui com o conforto, mas a distância entre-eixos é praticamente igual à do hatch compacto Polo (2,57 m) e, por isso, o espaço para os joelhos deixa um pouco a desejar. 

A nova  central multimídia do VW Nivus funciona em conjunto com o aplicativo VW Play Apps , além das parcerias com Estapar, Waze, iFood, Deezer, entre outros. Conta com tela de 10,1 polegadas sensível ao toque, com Apple Car Play e Android Auto e comando por voz.

Leia Também:  Confira alguns cuidados na hora de carregar seu veículo elétrico

Por meio dela, também é possível pagar estacionamentos , o Zona Azul, bem como pedir um guincho em caso de defeito, ou escolher algo para comer a ser entregue em algum endereço. Além disso, há o “Modo Vallet”, que bloqueia informações pessoais do usuário, ao ser ativado.

No asfalto, o Nivus mostra a qualidade de aliar bom desempenho com baixo consumo, além de ser ágil nas manobras. O motor 1.0 turboflex , de três cilindros, com câmbio automático sequencial de seis marchas é suficiente para ultrapassagens seguras. Nesse quesito, também conta com AEB (Frenagem Autônoma de Emergência), ACC (Controle Adaptativo de Cruzeiro) e ISOFIX.

Seus 128 cv e 20,4 kgfm a 2.000 rpm se traduzem em respostas rápidas aos comandos do acelerador. Mas isso com o câmbio no modo “S”, já que, fora dele, as reações se mostram mais “anestesiadas”. De acordo com a fabricante, para ir de 0 a 100 km/h, o carro precisa de bons 10 segundos.

Com as mãos no volante multifuncional , revestido de couro, e com hastes atrás, a direção é precisa em velocidade e leve ao estacionar. E a suspensão trabalha bem tanto para absorver as irregularidades do piso quanto para manter o carro estável nas curvas, inclusive, em estradas de terra.

Levantamos poeira em alguns trechos e comprovamos que o Nivus vai bem na terra, contanto que você passe apenas por caminhos de terra batida e com obstáculos fáceis de serem superados, longe de trilhas e lamaçais, que provocaram algumas escorregadas nos nossos testes.

Leia Também:  BYD confirma participação no São Paulo Motor Experience 2022

Para quem vai pegar estrada, o tanque de 52 litros pode ficar pequeno, limitando a autonomia . Mesmo assim, conforme dados do Inmetro, o Nivus pode rodar 489 km com etanol e 686 km com gasolina, em uso rodoviário, fazendo 9,4 km/l e 13,2 km/l, respectivamente. Na cidade, faz 7,7 km/l com etanol e 10,7 km/l com gasolina.

Conclusão

Depois de ter experimentado o VW Nivus Highline nas mais diversas condições de asfalto, ficou claro que o acerto, tanto do conjunto mecânico quanto do estrutural, são pontos altos. Para quem gosta de dirigir, estar ao volante de algo que tem aparência de um SUV, mas que anda como um hatch bem acertado, deixa boa surpresa.

Ficha técnica, VW Nivus Highline

Preço: A partir de R$ 136.270

Motor: 1.0, quatro cilindros, flex, turbo

Potência: 128 cv (E) / 116 cv (G) a 5.500 rpm

Torque: 20,4 kgfm a 2.000 rpm

Transmissão: Automático, seis marchas, tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / eixo de torção (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / sólido (traseiros)

Pneus: 205/55/R17

Dimensões: 4,27 m (comprimento) / 1,75 m (largura) / 1,49 m (altura), 2,57 m (entre-eixos)

Tanque: 52 litros

Porta-malas: 415 litros

Consumo gasolina: 7,7 km/l (cidade) / 9,4 km/l (estrada), com etanol e 10,7 cidade e 13,2 km/l na estrada, com gasolina

0 a 100 km/h: 10 segundos

Velocidade máxima: 189 km/h

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA