CUIABÁ

Auto

Mercedes desistirá do segmento das peruas até 2030

Publicado em

Auto


source
Peruas da Mercedes conquistaram seu espaço ao longo de décadas , mas já estão com os dias contados
Divulgação

Peruas da Mercedes conquistaram seu espaço ao longo de décadas , mas já estão com os dias contados

A Mercedes-Benz anuncia que vai deixar de produzir peruas até 2030. A informação apurada pelo site alemão  Automobilewoche revela como o segmento não tem mais a mesma representatividade que teve um dia, nem no exterior. O mercado europeu ainda é o mais cativo. A maior justificativa por trás do anúncio é o investimento intensificado no segmento dos elétricos.

A Mercedes iniciou as vendas de peruas depois de muitas fabricantes. Lançou a versão familiar o W123 (antecessor do classe E) apenas em 1977. Mas desde então, a robustez típica da marca aliada ao espaço interno de uma perua conquistou muitos fãs pelo mundo.

Mercedes Classe C Estate une os atributos da sedã, mas com mais espaço para a família
Divulgação

Mercedes Classe C Estate une os atributos da sedã, mas com mais espaço para a família

A nova geração do Classe C estreou em 2022 com uma perua. Entretanto, não veremos a sua continuidade para as gerações seguintes. O mesmo vale para a CLA Shooting Brake , que não será continuada na próxima geração, prevista para 2025.

Leia Também:  GM investe US$ 51 milhões para motores elétricos da picape Silverado

A perua que será mais duradoura é também o carro chefe da linha familiar: a Classe E . O modelo deverá sobreviver até 2030, quando chegará uma nova geração sem a perua. Uma pena vermos, inclusive, a versão AMG de 612 cv se despedindo dos mais entusiastas.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Auto

Economia de dinheiro: troca de pneus pede alinhamento e balanceamento

Publicados

em

Por


source


Alinhamento de pneus
Divulgação

Alinhamento de pneus

Quando chega a hora de trocar o jogo de pneus , muitos optam por não fazer o balanceamento e alinhamento , deixando só para depois, mas poucos se lembram de retomar e acabam prejudicando a durabilidade dos pneus.

Assim, essa ‘economia’ acaba se transformando em mais gasto, pois implica diretamente no desgaste desigual e acelerado da banda de rodagem, nos componentes da suspensão , além de implicar na segurança de todos os ocupantes.

Sendo assim, é recomendável, fazer alinhamento e balanceamento preventivamente a cada 10 mil quilômetros ou 6 meses. O alinhamento é um processo necessário porque ele mantém a estabilidade e corrige os ângulos da suspensão e da direção do veículo.

Ao realizar o alinhamento, é indicado um diagnóstico completo nos pneus, rodas e suspensão , avaliando condições de desgaste e irregularidades. Em seguida, recomenda-se fazer o rodízio, oferecendo maior durabilidade e desempenho do sistema.

Leia Também:  Citroën C4 Cactus tem desconto de R$ 8,6 mil e condições especiais

Leia Também

Alinhar os pneus é de extrema importância para cuidar bem deles. Garante que respondam de forma adequada ao volante, evitando desgaste e reduzindo o consumo.
Divulgação

Alinhar os pneus é de extrema importância para cuidar bem deles. Garante que respondam de forma adequada ao volante, evitando desgaste e reduzindo o consumo.

Veículos desalinhados causam imprecisão na direção e cansaço no motorista, ocasionando maior risco de acidentes, afinal, conduzir o carro com o volante torto ou puxando, não é nem um pouco agradável.

Durante o alinhamento , é importante ajustar três ângulos principais da suspensão: convergência (ou divergência), cáster e câmber , também conhecido como cambagem .

Normalmente, o desalinhamento ocorre após impactos violentos (buracos, guias), desgaste dos componentes da suspensão ou acidentes.

Fonte: IG CARROS

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA