CUIABÁ

BRASIL

Veja como funciona a metodologia da Teoria de Resposta ao Item (TRI)

Publicado em

BRASIL


Falta pouco mais de um mês para as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2021, previstas para 21 e 28 de novembro deste ano. Todos os anos, os participantes aguardam ansiosamente as datas do exame e, depois, a divulgação dos calendários e das notas. No Enem, a correção das provas e a consequente pontuação do estudante utilizam uma metodologia chamada Teoria de Resposta ao Item (TRI).

Para ajudar os participantes e o público em geral a entender como funciona a TRI, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) preparou um guia que explica, passo a passo, como é feito esse cálculo. “A TRI é um conjunto de modelos matemáticos que busca representar a relação entre a probabilidade de o participante responder corretamente a uma questão, seu conhecimento na área em que está sendo avaliado e as características (parâmetros) dos itens”, esclarece o documento.

Em outras palavras: a nota do Enem não leva em consideração apenas a quantidade bruta de erros e de acertos: a TRI considera a particularidade de cada questão da prova. Isto significa que duas pessoas com a mesma quantidade de acertos e de erros podem ter notas diferentes, pois tudo depende de quais foram as questões acertadas ou erradas. O peso de cada item no cálculo total leva em conta três variáveis, chamadas parâmetros:

Leia Também:  Camponesas marcham até a Praça dos Três Poderes e pedem fim da violência contra a mulher

1.Parâmetro de discriminação: poder que cada questão possui de diferenciar participantes que dominam a habilidade avaliada daqueles que não dominam.

2.Parâmetro de dificuldade: quanto mais difícil a questão, maior seu valor.

3.Parâmetro de acerto casual: probabilidade de um participante acertar a questão no “chute”, sem necessariamente ter domínio do tema.

Para entender a fundo como é o cálculo da nota do Enem com a TRI, acesse, na íntegra, o guia do Inep.

Com informações do Inep

 

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

BRASIL

Governo Federal vai investir R$ 75 milhões para recuperar rodovia que corta o Alagoas

Publicados

em

Por


O Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, nesta segunda-feira (18), anunciou que vai investir R$ 75 milhões para recuperação da BR-416 que corta Alagoas. Na ocasião, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, resumiu o feito “Vamos trazer prosperidade para essa região”.

A ordem de serviço autoriza o início das obras remanescentes de pavimentação, restauração da pista existente e execução de melhoramentos para adequação de capacidade e segurança de 27,40 quilômetros da BR-416/AL, entre os municípios de Ibateguara e Colônia Leopoldina – interligando a BR-104/AL com a BR-101/AL.

“Quando a gente terminar a BR-416, a gente vai ligar regiões e permitir a conectividade das pessoas. Vai ser mais fácil ligar essa região ao litoral mais bonito do Brasil, vai ser mais fácil escoar a produção, vai ser mais fácil trazer a riqueza”, disse o ministro.

MELHORIAS – Nos trechos definidos, as equipes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) executarão serviços de restauração da pista existente, melhoramentos para adequação de capacidade e segurança – alargamento de pista, reforço e alargamento de pontes, correção de traçado de curvas e rampas e melhorias de acessos e travessias urbanas – e conclusão de obras remanescentes.

Leia Também:  Alckmin diz que não irá se intimidar por ameaça de grupo criminoso

O empreendimento tem lote único e é dividido por segmentos: do km 7,60 ao km 17,60 e do km 17,60 ao km 19,20, os trechos receberão restauração com melhoramentos; do km 25,20 ao km 29,60, serão feitos trabalhos de pavimentação; e do km 45,60 ao km 57, o trecho também será contemplado com obras de restauração com melhoramentos.

LICITAÇÃO – Durante a cerimônia, o ministro da Infraestrutura também anunciou a publicação do edital de contratação dos projetos básico e executivo de engenharia para implantação de melhorias da BR-316/AL, no segmento entre o km 251,4 e o km 276,1, que vai de Maceió e Palmeira dos Índios.
As soluções constam no Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental referente ao segmento. A licitação possibilitará a contratação dos projetos para as obras de adequação e duplicação da rodovia.

MACEIÓ – Pela manhã, o ministro vistoriou as obras de construção do terminal de passageiros do Porto de Maceió (AL). A conclusão das obras está prevista para este semestre. Segundo o ministro, que ressaltou o potencial turístico da região, a expectativa é que o local receba passageiros em novembro. “Vamos trabalhar para transformar aquela orla de Maceió num novo Puerto Madero”, disse.

Leia Também:  Programa Pátria Voluntária lança edital de requisição de servidores públicos interessados em compor a equipe

Com área total de 1.668,13 metros quadrados, o empreendimento tem investimento de R$ 5,7 milhões do Governo Federal. O contrato de construção da estrutura compreende a elaboração dos projetos básico e executivo e a execução da obra. O terminal está situado em um ponto estratégico e promoverá mais conforto e melhores condições de infraestrutura no desembarque de turistas da região.

Com informações do Ministério da Infraestrutura

Fonte: Brasil.gov

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA