Ir para o menu principal Ir para o conteudo principal

RepórterMT

Justiça determina a suspensão do concurso público realizado pela prefeitura de Porto Esperidião. O Ministério Público teve que entrar com uma ação judicial porque o prefeito da cidade, Martins Dias de Oliveira, não acatou a notificação recomendatória para não homologar o concurso devido várias irregularidades. Homologou e nomeou aprovados. O motivo desta resistência, segundo o próprio MP, é porque a filha dele foi aprovada para o cargo de professora.

A ação judicial suspende o concurso público e as nomeações já efetivadas.

Entre as irregularidades apontadas na ação estão a constatação de malote de provas sem lacre, indicando que abertura ocorreu antes da aplicação do exame; diversas falhas nas atas de ocorrências das provas; e candidatos aprovados no concurso com gabaritos corrigidos de forma errônea.