CUIABÁ

MUNDO

Biomarcador consegue prever gravidade da covid-19, segundo estudo

Publicado em

MUNDO


Um biomarcador usado para medir o nível de saúde celular permite calcular com precisão a probabilidade de uma pessoa desenvolver um caso mais ou menos grave de covid-19 mesmo antes de contrair a doença, revela estudo científico. Basta o simples teste da coleta de material naso-faríngeo para recolher toda a informação necessária.

A pesquisa foi feita por uma equipe internacional, com participação portuguesa, liderada por Rajan Gogna, da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade de Copenhague, na Dinamarca.

Segundo Gogna, a descoberta poderá ter efeitos positivos nas próximas fases da gestão da crise pandêmica, ao permitir identificar o potencial de gravidade de um determinado caso de covid em sua fase inicial, possibilitando uma resposta hospitalar mais rápida, orientada e eficaz, contribuindo para a melhor organização dos sistemas de saúde.

Por outro lado, nos países que estão com dificuldades no controle da pandemia ou nos que têm sistemas de saúde mais frágeis e com menor acesso a vacinas, a aplicação das conclusões do estudo permitirá a orientação dos recursos disponíveis para as pessoas com maior propensão a contrair covid mais severa e, assim, conter a doença com maior efetividade.

Leia Também:  Ilhas Canárias: lava de vulcão continua a se aproximar da água

hFwe-Lose, a chave

É o nível de saúde celular dos pulmões que define se uma pessoa sofrerá um caso mais ou menos grave de covid-19 e essa leitura pode ser feita antes de se contrair a doença, explica o autor principal do estudo. Rajan Gogna refere-se ao hFwe-Lose, uma proteína que recentemente se verificou ser um biomarcador que assinala a saúde das células pulmonares.

O organismo humano tem um sistema que promove a extinção de células inviáveis e também das que, embora viáveis, estejam funcionando em um nível abaixo do necessário para uma saúde celular perfeita. O biomarcador hFwe-Lose identifica essas células “sub-ótimas”, que aumentam com a idade ou em pessoas que sofrem de hipertensão, obesidade, doença pulmonar obstrutiva crónica, diabetes e outras doenças já conhecidas como fatores de risco agravado em um quadro de covid-19.

A pesquisa analisou tecido pulmonar infectado, proveniente de pessoas mortas por covid-19, e confirmou grande acumulação de hFwe-Lose em áreas onde se verificou morte celular. Comparando amostras recolhidas em pessoas com todas essas características, mas divididas entre doentes de covid e não doentes, o estudo determinou que o hFwe-Lose tinha uma expressão “significativamente maior” no primeiro grupo.

Leia Também:  Após denúncia de que espionou a França, EUA dizem que todos os países espionam

Os dados sugerem que a expressão desse biomarcador nas vias aéreas inferiores é “claramente” indicadora de um caso de covid-19 mais severo ou até mortal, mas, pela maior dificuldade na obtenção de amostras de tecido não é um bom método de prognóstico.

Foram também estudadas amostras recolhidas por meio da coleta naso-faríngea (o teste do cotonete) em pacientes iniciais de covid e concluiu-se que a expressão de hFwe-Lose nessas coletas é “consistente” com os dados recolhidos no trato respiratório inferior.

Assim, os corriqueiros testes de coleta de material naso-faríngeo foram fixados por esse estudo como ferramenta essencial, porque, permitindo fácil recolhimento de amostra, contêm também toda a informação necessária para que se consiga prever a gravidade de um determinado caso de covid.

Rajan Gogna afirmou que o método de prognóstico agora proposto é “mais certeiro” do que o atual, que resulta de uma combinação de outros biomarcadores (Ferritina, D-dímero, proteína reativa C e rácio neutrófilos/linfócitos) com fatores como a idade do doente e comorbidades associadas.

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

MUNDO

Barco com 40 alunos nigerianos naufraga e 29 morrem; maioria era menor de idade

Publicados

em

Por


source
Maioria dos estudantes eram menores de idade
Conor Sexton / Unsplash

Maioria dos estudantes eram menores de idade

Um barco que transportava cerca de 40 alunos nigerianos naufragou no estado de Kano, no norte da Nigéria . O acidente matou ao menos 29 pessoas, segundo autoridades locais disseram à agência de notícias Reuters nesta quarta-feira (1º).

O barco estava na represa Watari e levava alunos de uma escola islâmica, sendo a maioria menor de 18 anos. O transporte virou às 5h30 (horário local, noite dessa terça no Brasil), informou um funcionário do governo.

De acordo com o porta-voz do serviço de bombeiros do estado de Kano, Saminu Yusuf Abdullahi, as equipes de resgate conseguiram recuperar 29 corpos. “O que sabemos é que o barco estava superlotado”, disse Abdullahi.

Segundo a autoridade do governo local, Aminu Bello Gogori, sete estudantes foram resgatados e estavam recebendo atendimento médico.

Dois moradores locais, Umar Shuaibu e Tanko Isa, relataram que, apesar de a maioria ser menor de idade, alguns tinham apenas 6 anos. De acordo com eles, os sete resgatados são crianças.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA