Ir para o menu principal Ir para o conteudo principal

OLHARDIRETO

Um casal de idosos morador de uma pequena área na comunidade São Gonçalo Beira Rio, em Cuiabá, veio a público nesta quinta-feira (26), acusar o comerciante Dilmar Antônio Barrio Nuevo Alves, pai do vereador e candidato a vice-prefeito Felipe Wellaton (Cidadania), de fazer ameaças e coações. De acordo com os denunciantes, em entrevista coletiva à imprensa, o empresário tenta tomar a terra onde ambos moram e já teria, inclusive, ameaçado passar por cima do neto deles com um trator.

 

 


Acompanhado pelo advogado Wander Bernardes, o casal Agripino do Amaral, de 64 anos e Maria Pedrosa da Silva, de 65, explicou que há oito anos comprou a pequena área. Pela localização, o imóvel impediria o acesso do pai de Wellaton a um rio. A denúncia chama a atenção por acontecer há três dias da eleição.

O casal ainda afirmou que por conta disso vem sendo coagido e até ameaçado pelo comerciante, que, segundo eles, já declarou que iria passar com um trator por cima de um de seus netos, caso eles não deixassem a área.

“Ele falou que se nós não desocupassemos a área, prometeu passar com um trator em cima do meu neto. O Wellaton foi na nossa casa, mas não falou nada. Quem falou foi o pai dele. Nós pagamos pela área. Tem oito anos que compramos lá e em todo este período passamos por isso. Já tentamos conversar com ele, mas com ele nunca teve conversa”, denunciou.

O advogado do casal ainda disse que o pai do vereador também apresentou documentações de compra e venda da área do casal e tem os pressionados para que eles deixam a terra anexa a dele.

“O senhor [pai do Welaton] tem área anexa atrás da casa do senhor Agripino e da senhora Maria. Para ter acesso a esta área, ele tem que passar pela área do casal. Neste sentido começou a fazer coação e ameaça, inclusive apresentando documento de compra e venda da área do casal, alegando que a área era dele e que eles teriam que desocupar o imóvel”, explicou Bernanrdo.

Aos jornalistas, Agripino contou que pagou pela terra em 2012, R$ 80 mil, mas uma casa de alvenaria em Várzea Grande e um carro. Na época, ele comprou a propriedade de um homem identificado apenas como Manoel e desde que começou as aemaças ele registrou boletins de ocorrências.

Nesse momento, o casal de idosos disse que espera que algo seja feito, pois eles precisam de sossego. "A gente comprou essa área para ter paz e sossego. Agora não estamos tendo. Ele só deixou minha casa e um terreiro na frente. Ele [Dilmar, pai de Wellaton] limpou tudo e disse que ia passar com trator, derrubar a casa. Estamos com medo", declarou dona Maria.

Outro lado

Questionado sobre a denúncia nesta quarta-feira (25), Wellaton afirmou que a história é mais uma fake news em período eleitoral e que não irá entrar neste jogo político de ataques a família.

“Isso é mais um fake news. A minha família, todas propriedades que ela tem são propriedades. Isso é mais uma fake news para tentar trazer este jogo político para atacar nossa família, nossa moral. Não vamos entrar neste jogo de ataque a quem não está na arena política. Quem é o candidato é o Emanuel Pinheiro, o Abílio Brunini e os vices. Eu quero discutir Cuiabá. Se continuarem a atacar a minha família vai perder tempo”, afirmou.

Fonte:

Comentários


Não há comentários até o momentos