Ir para o menu principal Ir para o conteudo principal

DA REDAÇÃO - MIDIANEWS


Mais que uma disputa, a Corrida de Rua "De Cara Limpa" é um alerta para toda a sociedade no enfrentamento ao uso de drogas. A corrida é o maior evento social da Polícia Judiciária Civil dentro do programa De Cara Limpa Contra as Drogas, que há seis anos desenvolve palestras e atividades esportivas e recreativas junto a crianças, adolescentes e jovens, com foco em uma vida saudável longe das drogas

A sexta edição, realizada neste domingo (04), em Cuiabá, levou às ruas da região do Centro Político Administrativo (CPA) mais de mil pessoas, entre inscritos e não-inscritos, nas categorias geral e policial civil, feminino e masculino. Todos amantes de corridas, que têm a atividade como um projeto de vida.

O delegado geral da Polícia Judiciária Civil, Adriano Peralta Moraes, acompanhou a corrida De Cara Limpa e destacou a importância do evento como forma de aproximar e despertar na sociedade a atenção para a prevenção às drogas. "Neste semestre apreendemos mais drogas do que o ano passado, mas não podemos estar focados somente na área repressiva. Temos que chamar a atenção da sociedade, despertar o consciente coletivo para chegar a bons resultados".

A largada feminina aconteceu às 7 horas, em frente ao barracão do setor de vistorias do Departamento de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT). Às 7h10 foi a vez dos homens e logo após começaram a chegar os cinco primeiros colocados.

No feminino, a atleta profissional, Nadir Sabino, 45 anos, assim como em outros anos, levou o primeiro lugar. "Essa corrida incentiva o funcionário da casa, os profissionais de fora e os figurantes da geral. Está de parabéns a organização e o percurso excelente. O melhor caminho é o esporte, eu sou o exemplo disso", frisou.

Na categoria geral masculino, Fernando Silvaganhou o primeiro lugar. "É muito importante essa ação do De Cara Limpa. Graças a Deus é isso, muito movimento de gente prestigiando a corrida que é muito boa. Espero que ano que vem eu possa ganhá-la novamente".

A escrivã da Corregedoria Geral da Polícia Civil, Suelma Bonfim Barbosa, garantiu a medalha de primeiro lugar entre todas as mulheres policiais competidoras. "Essa foi a primeira vez que participei da corrida. Me preparei um pouco e me sinto muito honrada pelo primeiro lugar".

Representando a regional de Barra do Garças, o investigador Eládio Crisóstomo, da 1ª Delegacia de Polícia do município, foi novamente o primeiro colocado da categoria policial civil masculino. Crisóstomo participou das cinco últimas edições da corrida e sempre ficou entre os cinco melhores colocados. "Tenho o esporte como uma paixão de vida. Treino o ano inteiro não só para essa corrida, mas também para atividade comercial".

Além dos cinco primeiros colocados que receberam premiação em dinheiro, a corrida entregou medalhas para todos os competidores inscritos. No pódio também subiram competidores

classificados for faixa etária. Pela melhor idade, a corredora do Maria do Carmo Ferreira, 76 anos, e o senhor Cedil Pereira, 89 anos, receberam medalhas das mãos das autoridades presentes. "Desde o comecinho estou correndo essa corrida, gosto muito, me faz bem e conheço novos amigos. Levanto cedinho e sou a primeira a chegar aqui", contou a medalhista.

Desde o ano 2008 o programa De Cara Limpa Contra as Drogas desenvolve ações educativas e esportivas junto a alunos da rede pública de ensino, além de outras palestras para pais, professores e a comunidade. "Nosso objetivo é a conscientização do público jovem sobre o uso de drogas, ilícitas e lícitas. Buscamos a sensibilização do nosso público alvo, que é a forma que temos para orientá-los a não entrar nesse mundo das drogas, pois uma vez que entra é muito difícil sair", explicou a coordenadora do programa, investigadora Laura Leia Correia da Costa.

A cada ano uma região é escolhida com base em dados estatísticos de índices de uso e tráfico de drogas, para que o programa direcione suas atividades. "Este ano escolhemos dez escolas da região leste com alto índice de uso de drogas e já são mais de 10 mil jovens atingidos", destacou Laura.

A corrida como modalidade esportiva é levada a sério para um grupo de 50 integrantes, composto por delegados, escrivães e investigadores de várias delegacias de polícia. Denominado Papa Charlie Running, o grupo foi criado pela delegada Nubya Beatriz Gomes dos Reis. "É um grupo só de policiais civis corredores e combinamos corridas, treinos, com a finalidade de reunir policiais que correm e representar a Polícia Civil nos eventos", disse.

Um stand da Gerência de Operações Especiais (GOE), com exposição de armamento, vestuário e cães do Canil Integrado da Fronteira também foi uma atração s entre os participantes da corrida, que tiram fotos juntos aos policiais, armas e os dois cães adestrados para o faro de drogas.

Jogos Internos

Além do Papa Charlie há outros grupos instituídos na Polícia Civil não só para a corrida, mas também para outras atividades esportivas, como o grupo da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), que tem policiais que correm, jogam futsal, voleibol, entre outros. Os profissionais deste grupo estão entre os mil inscritos para a 5ª edição dos Jogos da Polícia Civil, que teve a corrida como abertura oficial e inicia as demais competições na segunda-feira (05.10), no Ginásio Dom Aquino, com o futsal.

Durante a semana, ainda tem atletismo, vôlei de quadra e de areia, natação e tênis de mesa com equipes masculinas e femininas. Ainda haverá futebol society masculino, bozó, xadrez, truco e tiro.

Fonte: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=244360

Comentários


Não há comentários até o momentos