Ir para o menu principal Ir para o conteudo principal

DA REDAÇÃO - MIDIANEWS


Destaque no cenário esportivo nacional, o projeto Judô Bope completou nesta semana, cinco anos de atividades. Voltado ao atendimento de crianças e adolescentes com idade entre 5 e 14 anos e policiais militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope), o projeto foi se ampliando aos poucos e o desempenho dos alunos alcançando bons resultados e hoje já soma diversos títulos estaduais, nacionais e internacionais.

Para celebrar a data, atletas, parceiros e demais colaboradores se reuniram na sexta-feira (09-10), na sede do Bope para entrega de títulos de honra ao mérito.

O coordenador do Judô Bope, subtenente Adalberto Correa Junior, conta que o projeto surgiu sem grandes pretensões e, ao longo de seu desenvolvimento, foi revelando talentos na arte marcial.

“O nosso foco sempre foi transmitir a todos, especialmente às crianças, valores sociais de doutrina, educação, integração, respeito, disciplina, lealdade e outros. Acontece que muitas crianças começaram a se destacar nas aulas. Então passamos a observar nelas a capacidade de se tornarem atletas, daí passamos a inscrevê-las nas competições”, diz Adalberto sobre o bom desempenho dos alunos nas competições. Em cinco anos de atividades foram mais de 4 mil participantes, sendo mais de 150 alunos com títulos em campeonatos.

O judoca Gabriel Felsky, de 13 anos é um desses medalhistas. Desde 2011, quando ingressou no projeto, o garoto já coleciona 34 medalhas. A última foi conquistada no campeonato US-Open, em Miami, nos Estados Unidos.

“Vejo que o projeto foi uma grande oportunidade que surgiu na minha vida e representar o nosso Estado num evento desse tamanho foi uma satisfação enorme”, disse o judoca.

Outra atleta que tem obtido bons resultados em competições é a aluna Maria Helena Mânica, de 16 anos. Desde que ingressou no projeto, há três anos, ela já alcançou 34 medalhas, sendo 22 títulos de primeiro lugar em competições estaduais, 9 bronzes e 3 de prata.

“No começo eu ia mais por obrigação. Só que depois eu passei a competir, passei a gostar. Hoje sei que o projeto me proporciona coisas maravilhosas. A gente conhece um monte de gente, viaja para vários lugares. A disciplina que a gente recebe como orientação é bastante importante para a vida. Com ela aprendi a respeitar mais minha família, a ser mais concentrada e disciplinada com meus estudos”, fala a judoca sobre a mudança de vida que o projeto proporcionou a ela.

Para o comandante-geral da PM, coronel Zaqueu Barbosa, o Judô Bope tornou-se uma referência como projeto desenvolvido pela instituição. “O que percebo é que esse projeto atingiu muito mais do que esperávamos. Superou e muito a nossa singela expectativa, pois hoje além de formar cidadãos ele conseguiu revelar grande atletas para o nosso Estado e isso é muito satisfatório”, avalia.

O projeto começou com a participação de cinco alunos e, atualmente, atende aproximadamente 300 crianças e adolescentes dos militares que atuam no e demais unidades da PM.

A equipe de treinadores do projeto é composta por nove profissionais liberais, entre médico, dentista, segurança, advogados, juízes, membros do Ministério Público, educador físico e militares do Exército Brasileiro e da Polícia Militar de Mato Grosso. Todos são faixas pretas em judô.

Projeto

As aulas são ministradas três vezes por semana, às segundas, quartas e sextas-feiras, entre 18h30 e 22h, na sede do Bope, na Avenida Rubens de Mendonça, em Cuiabá. Para matrícula, o interessado deve preencher os seguintes pré-requisitos: ser estudante e ter bom desempenho escolar. 

Fonte: http://www.midianews.com.br/conteudo.php?sid=3&cid=244939

Comentários


Não há comentários até o momentos