CUIABÁ

Política

Bolsonaro diz que está “louco para entregar” a presidência da República

Publicado em

Política


source
Bolsonaro diz que está
Isac Nóbrega/ PR

Bolsonaro diz que está “louco para entregar” a presidência da República

presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou na última quarta-feira (24) aos apoiadores – no cercadinho do Alvorada – que gostaria de deixar o cargo da presidência da República. Confira o vídeo:

“Tô louco pra entregar isso aqui”, revelou Bolsonaro. Os simpatizantes do políticoo pediram para que ele ficasse mais tempo no cargo. “Entrega não”, pediu um apoiador. Já outro completou pedindo para Bolsonaro aguentar “mais 4, mais 8 [anos]”.


Na sequência, o presidente disse em tom de desabafo que o Palácio da Alvorada – residência oficial do chefe do execuivo federal – é um bom local “para visitar”, mas “para morar não é bom não”.

Leia Também:  Conclusão da obra da Arena Pantanal vai ser decidida na Justiça

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política

Michelle, Damares e senadores evangélicos comemoram aprovação de Mendonça ao STF

Publicados

em

Por


source
Senador Flávio Bolsonaro cumprimenta André Mendonça
Edilson Rodrigues/Agência Senado

Senador Flávio Bolsonaro cumprimenta André Mendonça

A primeira-dama Michelle Bolsonaro, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, e parlamentares evangélicos foram até o Senado para cumprimentar André Medonça por ter sido aprovado como o novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), durante votação no plenário da Casa na tarde desta quarta-feira (1º).

O ex-ministro da Justiça acompanhou a votação de dentro do gabinete do senador governista Luiz do Carmo (MDB-GO) e, assim que saiu o resultado, houve gritaria e comemoração. O nome de Mendonça foi aprovado com 47 votos a favor e 32 contra.

Hoje mais cedo, Mendonça foi sabatinado e também teve seu nome aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado , por 18 votos favoráveis contra 9.

Mendonça foi indicado por Bolsonaro para ocupar a vaga do ex-ministro Marco Aurélio Mello, após sua aposentadoria, em julho deste ano . A sabatina ocorreu após mais de quatro meses de espera.

O atraso se deu devido ao presidente da CCJ, que se recusou a agendar uma data para pautar a sabatina anteriormente, já que não concordava com a indicação do ex-Advogado-Geral da União.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA