CUIABÁ

Política

Terceira via define nova data de anúncio sobre candidatura única

Publicado em

Política

source
Doria e Simone Tebet, nomes cotados para a candidatura única da terceira via
reprodução/montagem iG – 18/05/2022

Doria e Simone Tebet, nomes cotados para a candidatura única da terceira via

Em reunião nesta quarta-feira, 18, PSDB, MDB e Cidadania decidiram adiar a decisão sobre ter uma  candidatura única da chamada terceira via nas eleições deste ano. Após definir o dia 18 de maio como prazo para chegarem a um consenso, o discurso agora é de ser preciso que os próprios partidos sejam consultados antes de uma definição.

Bruno Araújo, do PSDB, anunciou a próxima terça-feira, 24, como data para o anúncio do postulante de consenso.

“A data que não podemos correr é o primeiro domingo de eleição. Antes dela a política permite que seja construída com solidez. Nada adianta só fixar uma data e cumpri-la pelo prazo. O importante é a solidez da decisão e acho que hoje avançamos aqui”, afirmou o tucano ao lado de Roberto Freire, presidente do Cidadania, e Baleia Rossi, do MDB.

O plano inicial era que a chapa fosse anunciada hoje tomando como base uma pesquisa encomendada pelas três siglas. Os resultados foram apresentados hoje aos partidos pelo professor Paulo Guimarães, presidente do Instituto que leva o nome dele. A pesquisa, no entanto, não foi divulgada.

“Fiquei até às 3 horas da manhã processando os dados. A pesquisa mostrou que Bolsonaro e Lula têm uma monstruosa rejeição”, disse ele, dizendo que há espaço para o crescimento de uma candidatura alternativa.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.


COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Política

Sem comentar suspeita de vazamento, Bolsonaro defende Milton Ribeiro

Publicados

em

Por

source
Jair Bolsonaro (PL) ao lado do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro
Clauber Cleber Caetano/PR

Jair Bolsonaro (PL) ao lado do ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, dizendo que foi preso “injustamente” e que não havia indícios mínimos de corrupção. Em entrevista concedida por vídeo na noite deste domingo, Bolsonaro afirmou que o objetivo da prisão era causar “constrangimento” ao governo.

Ele não fez nenhum comentário sobre ter sido citado como suspeito de interferência no inquérito. Em uma interceptação telefônica, Milton relatou à sua filha que havia conversado com o presidente e que Bolsonaro havia lhe dito acreditar que seu ex-ministro seria alvo de busca e apreensão. Por isso, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal apontaram suspeitas de vazamento da investigação por parte de Bolsonaro.

“O caso do Milton agora, quem começou essa investigação foi a Controladoria-Geral da União, a CGU, a pedido do próprio Milton. O Milton achou que algo estava errado, algumas pessoas estavam ao seu lado a forma como era assediado e pediu a CGU que fizesse ali um pente fino em contratos e observar se a ação dessas pessoas”, afirmou.

Leia Também:  Após 2 semanas, Assembleia retoma sessões nesta 3ª

Ele acrescentou que foi a partir desse relatório que a PF abriu sua investigação:

“Até que aconteceu o dia D, né? O dia da da prisão do Milton. Deixo claro, vocês já divulgaram aí que o Ministério Público foi contra a prisão do Milton. Não tinha indícios mínimos ali de corrupção por parte dele. No meu entender, ele foi preso injustamente.”

Na visão do presidente, esses movimentos têm como objetivo constranger e humilhar o governo, causando desgaste ao associá-lo em narrativas de corrupção.

O presidente não comentou, em nenhum momento, a menção feita por Millton Ribeiro em uma ligação telefônica com sua filha, no dia 9 de junho. Nessa data, Bolsonaro estava nos Estados Unidos, acompanhado do ministro da Justiça, Anderson Torres. O ministro negou neste domingo ter tratado de operações da PF durante a viagem.

Milton Ribeiro, que já está solto, é um dos alvos de investigação sobre suspeitas de corrupção no Ministério da Educação. No telefonema com a filha, Milton Ribeiro afirmou:

Leia Também:  AL aprova voto em separado de Riva e autoridades vão receber provas fartas contra cooperativa de Eraí

“A única coisa meio… hoje o presidente me ligou… ele tá com um pressentimento, novamente, que eles podem querer atingi-lo através de mim, sabe? É que eu tenho mandado versículos pra ele, né?”

Depois disse:

“Não! Não é isso… ele acha que vão fazer uma busca e apreensão… em casa… sabe… é… é muito triste. Bom! Isso pode acontecer, né? Se houver indícios né…”

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA