CUIABÁ

Saúde

ANS instaura direção técnica que vai apurar conduta da Prevent Senior

Publicado em

Saúde


A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) aprovou hoje (13) a instauração do regime especial de direção técnica na operadora Prevent Senior, acusada de exigir que profissionais receitassem medicamentos ineficazes para o tratamento da covid-19 sem o conhecimento dos pacientes. A medida pressupõe que um agente acompanhará procedimentos da empresa in loco para identificar ações que coloquem em risco a continuidade e a qualidade da assistência prestada aos usuários dos planos.

Em nota, a ANS informa que a decisão foi tomada em reunião da diretoria colegiada. O comunicado também reiterou que a empresa tomou conhecimento das denúncias contra a Prevent Senior por meio da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga irregularidades associadas à gestão da pandemia de covid-19. “É importante esclarecer que não se trata de uma intervenção, pois a ANS não interfere na gestão da operadora, mas de um acompanhamento com análises permanentes de informações e definição de metas a serem cumpridas pela operadora”, acrescenta o texto.

Em um dossiê entregue à CPI e em depoimentos, médicos que trabalhavam para a operadora relataram que medicamentos ineficazes contra a covid-19, como ivermectina e hidroxicloroquina, eram ministrados sem comunicação aos pacientes. Eles também disseram que foram realizados estudos sem as devidas autorizações, que houve alteração de prontuários e atestados de óbito e que os profissionais eram orientados a trabalhar mesmo se estivessem infectados. Uma investigação também foi aberta no Ministério Público de São Paulo. 

Leia Também:  Brasil perde 464 vidas para a Covid-19 nas últimas 24 horas

Quando prestou depoimento na semana passada, o diretor-presidente da ANS, Paulo Roberto Rebello Filho, já havia informado que a agência não tinha conhecimento a respeito das denúncias. As questões relatadas não apareceram nos monitoramentos. “A ANS regula as operadoras de planos de saúde e não atua dentro de hospitais. Essa atividade é desempenhada por outros órgãos que atuam no setor de saúde, como os órgãos de vigilância sanitária e os conselhos federal e regionais de medicina”, diz a agência.

A ANS afirma ainda que atua na definição de procedimentos e eventos em saúde que devem ter cobertura obrigatória para os beneficiários de planos de saúde regulamentados, mas não está entre suas atribuições legais autorizar ou vedar procedimentos médicos de caráter experimental.

“Não existe, no arcabouço da saúde suplementar, nenhuma norma que impeça que a operadora disponibilize os medicamentos do chamado kit covid aos seus beneficiários, em consonância com as recomendações do Ministério da Saúde, do Conselho Federal de Medicina e/ou da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Tal proibição só ocorreria se houvesse uma determinação por parte do Ministério da Saúde, do Conselho Federal de Medicina e/ou da Agência Nacional de Vigilância Sanitária proibindo o uso experimental destes medicamentos e a sua prescrição para esta finalidade”, diz a nota.

Leia Também:  Covid-19: Alemanha vai aplicar 3ª dose das vacinas em idosos

Segundo a agência, já foram lavrados dois autos de infração para a Prevent Senior: um por falta de comunicação aos beneficiários sobre o uso dos medicamentos e outro por cerceamento à atividade do prestador de serviços. “Todas as informações levantadas estão sendo analisadas para que a agência tenha os subsídios necessários para a adoção das medidas adequadas. Também nesse sentido, cabe aqui uma palavra de tranquilidade aos quase 540 mil beneficiários da Prevent Sênior, quanto à continuidade e garantia da prestação de serviços de saúde suplementar contratados”, finaliza a ANS.

A Agência Brasil tentou contato com a Prevent Senior, mas não obteve retorno.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

COMENTE ABAIXO:

Propaganda

Saúde

Setor de turismo prevê melhora com avanço da vacinação no Brasil

Publicados

em

Por


source
Turismo em Salvador, Bahia
Reprodução

Turismo em Salvador, Bahia

Após despencar 36,6% em 2020, o setor de turismo prevê melhora com o avanço da vacinação no Brasil. Cálculos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), mostram um cenário positivo para recuperação plena em 2022. 

A margem entre as receitas e o potencial de geração do setor é a menor desde o começo da pandemia. Esta diferença diminuiu pelo quinto mês consecutivo. Neste período, a perda em relação ao faturamento esperado foi de R$ 15,3 bilhões. 

Fabio Bentes, diretor da CNC, afirmou que existe uma melhora principalmente nos subsetores como hospedagem e passagens aéreas. “A gente acredita em uma aceleração no quarto trimestre, diretamente relacionada ao avanço da circulação de pessoas”, disse em entrevista à Folha de São Paulo. 

O diretor ainda afirmou que o setor é capaz de se recuperar plenamente no segundo trimestre de 2022.

Leia Também

Segundo dados obtidos pelo Google Trends, ferramenta que monitora termos mais buscados pelos usuários, a pesquisa pela palavra “viagem” atingiu seu maior pico de interesse em setembro. Este foi o maior patamar obtido desde março do ano passado.

Marina Figueiredo, vice-presidente da Braztoa (Associação Brasileira das Operadoras de Turismo), disse à Folha que a procura por voos domésticos cresceu pelo quinto mês consecutivo. 

“Temos mais destinos sendo vendidos, e o medo das pessoas ficou menor com a vacina. Isso dá uma perspectiva de final de ano muito melhor do que a do ano passado”, afirmou. 

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CIDADES

POLÍTICA

MULHER

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA